A troca de informações e o acesso ao conhecimento são importantes ferramentas do mundo atual.

Seja bem-vindo e participe acompanhando as notícias e dando sua opinião.

Klaus

Os dentes do Raul e o sorriso do Ronaldinho

Feriados chuvosos passados no Rio de Janeiro podem ser bem proveitosos, uma oportunidade para colocar a leitura em dia, assistir um bom filme, uma boa peça de teatro. Me foram inspiradores o filme sobre a vida do Raul Seixas, “O início, o fim e o meio” e a leitura da coluna do Francisco Bosco no segundo caderno do O Globo sobre o Ronaldinho Gaúcho (6/6/2012). Em comum, os dentes, o sorriso, as paixões, a depressão e o imperativo do gozo.

No filme sobre o Raul pude conhecer um pouco da sua trajetória. Desde os sonhos de infância, da primeira banda, passando pelas conquistas, pelo merecido reconhecimento, o contato com as drogas e a doença. Como apreciador de sua obra musical, reconhecedor de sua genialidade não pude deixar de ficar triste com o fim. Numa das passagens ele aparece sem os dentes, com um “amigo” brincando com tal fato, justamente quando já estava próximo do fim da vida. O descuido dos dentes pode transparecer o descuido do corpo, da saúde, da mente…

Deixo para o Francisco Bosco a bela reflexão sobre as paixões, a depressão e o imperativo do gozo. Mas seus comentários sobre como era e como é agora o sorriso do Ronaldinho me levaram a compartilhar estas linhas. O sorriso sempre me interessou, pois ele pode dizer muito sobre uma pessoa. O sorriso pode manifestar a alegria, o jeito de ser, o estado de espírito… Sua ausência permanente, pode manifestar a tristeza, o desgosto, a depressão. Penso como o Francisco Bosco e também espero ver o Ronaldinho voltar a sorrir como antes.

Enfim, para quem sempre sorriu e deixou de sorrir, poder voltar a sorrir significa voltar a viver.

Até breve, num próximo post!

 

Primeira visita ao ortodontista? Antes dos 7 anos.

Após o último post sobre a primeira visita ao dentista, naturalmente surgiu a pergunta sobre qual seria a melhor idade para a primeira visita ao ortodontista.

A Associação Americana de Ortodontia recomenda que todas as crianças tenham uma consulta com o ortodontista antes dos 7 anos de idade, pois alguns problemas ortodônticos podem ser corrigidos facilmente se tratados cedo. Esperar que todos os dentes permanentes irrompam ou até o crescimento facial estar completo pode tornar a correção de alguns problemas mais difícil ou até limitada.

É bom esclarecer que diversos problemas ortodônticos são tratados com maior eficiência aguardando-se o início do surto de crescimento e o final da dentição permanente (por volta dos 11 anos nas meninas e dos 13 anos nos meninos).

Por isso, o acompanhamento de um bom ortodontista é muito importante para não se perder o melhor momento para o início do tratamento e, também, para não se iniciar o tratamento antes do necessário.

Obs: Uma avaliação ortodôntica em qualquer idade é recomendada se os pais, dentista da família ou médico do paciente notarem algum problema.

Abraços a todos e um Feliz Ano Novo!

Até breve, num próximo post!

Primeira visita ao dentista? Na barriga.

Este post foi motivado por uma pergunta que sempre me fazem: com que idade devo levar meu filho ao dentista pela primeira vez?

Assim como a escolha do pediatra deveria ser feita antes do nascimento dos filhos, a do dentista também deveria ser feita da mesma forma. Por isso, recomendo que a primeira visita ao dentista aconteça antes do nascimento, ou seja, durante a gravidez. Pode parecer curioso, mas é uma época ótima para os pais receberem instruções preventivas importantes, começando com os cuidados iniciais com a alimentação, com a limpeza da gengiva e com os futuros dentes do bebê.

Essa primeira visita responderá, basicamente, a três perguntas: Como a cárie se forma?  Como podemos evitá-la? Como tornar os dentes mais resistentes à cárie?. Entender as respostas a estas perguntas e seguir um plano de prevenção corretamente, poderá significar dentes saudáveis por toda a vida.

Ah, e que economia para os pais e para os filhos…

Até breve, num próximo post.

 

É melhor sorrir

Semana passada, ouvindo aquela famosa música do Vinícius que diz que “é melhor ser alegre que ser triste”, pensei que era a hora de escrever algo sobre a importância de poder sorrir. Afinal, sorriso e alegria andam de mãos dadas.

Mas é muito difícil sorrir quando alguma coisa no sorriso nos desagrada. Diversos são os motivos, desde a cor mais escura de um dente, passando pela exposição excessiva da gengiva, pelo desalinhamento ou até aquele espacinho entre os dentes. Enfim, qualquer coisa que nos impeça de soltar aquela boa gargalhada, como a da Elis, deveria ser eliminada.

Ao longo dos anos, tive a oportunidade de acompanhar diversos casos e observar o quanto a melhoria dos dentes pode aumentar a auto-estima das pessoas. Como elas sorriem mais!

E, se como diz o poetinha em sua música, “alegria é a melhor coisa que existe”, não vamos deixar que algo impeça a maior expressão dessa alegria que é o sorriso.

Abraços a todos e até breve, num próximo post!

 

Placas miorrelaxantes no tratamento de dor de cabeça

Após o último post, recebi perguntas tanto de dentistas como de pacientes sobre o que são e como funcionam as tais placas miorrelaxantes citadas.

Como bem diz o nome, estas placas tem por objetivo principal promover o relaxamento dos músculos, no caso, dos músculos da face e relacionados a ela.

Acontece que em alguns tipos de mordida errada existe uma adaptação muscular que pode tornar os músculos da face e do pescoço tensos. Esta tensão muscular, em diversas situações, pode ser responsável por dores de cabeça, no pescoço e nos ombros, assim como por espasmos musculares.

As placas miorrelaxantes quando bem indicadas, bem confeccionadas, bem acompanhadas e bem utilizadas, podem resolver estes problemas e o melhor, apontar uma possível solução por meio da correção da mordida errada.

Até breve!

 

Botox no tratamento de dor de cabeça

Hoje gostaria de comentar sobre uma reportagem que saiu recentemente no Jornal O Globo sobre o uso de Botox no tratamento de dores de cabeça. Fiquei preocupado com o título, pois embora a matéria relate exemplos de sucesso e de insucesso, aponta o Botox como uma modalidade de tratamento da dor de cabeça sem especificar para quais situações ele seria indicado, o que acho perigoso.

É bom lembrar que o Botox é originário da toxina botulínica que age interferindo na contração muscular. Assim, o Botox funcionará apenas nos casos de dores de cabeça de origem muscular. Mas o que a Odontologia tem a ver com isso? Muita coisa.

Embora a população tenha pouco conhecimento, algumas dores de cabeça podem ter origem na mordida inadequada que também sobrecarrega a musculatura e as articulações. Enquanto o Botox trata as dores de cabeça eliminando a contração da musculatura, as placas miorrelaxantes utilizadas na Odontologia podem alcançar o mesmo resultado ao normalizar o padrão de contração muscular. A diferença é que o Botox dura de 4 a 6 meses, enquanto a placa miorrelaxante, se bem conservada, pode durar vários anos. Entretanto, ambas possuem efeito paleativo.

Mas sabem o que é mais legal? Se a placa eliminar a dor de cabeça, existe uma grande chance do paciente corrigir a mordida e ficar livre da dor de cabeça e da placa. Ah! E do Botox também.

O início

Por diversas vezes me deparei com a situação de assistir, ouvir ou ler algo que gostaria de compartilhar ou com pacientes, ou com colegas de profissão, ou com amigos e familiares. Porém não sabia como. Espero conseguir fazer isso por meio deste site.

Gostaria de poder trocar idéias, ouvir sugestões, opiniões, enfim, discutir sobre os mais diversos temas da área de saúde, com ênfase na Odontologia e na Ortodontia.

Espero que vocês me acompanhem nessa nova jornada!

Até breve, num próximo post.

Um abraço, Klaus.